.

.
.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

ANÁLISE SINTÁTICA DOS 9 TERMOS DA ORAÇÃO:

1. SUJEITO (termo da oração do qual o verbo diz algo)
OBS: para descobrir o sujeito pergunta-se

• QUEM É QUE + VERBO (para pessoas)
Cabral descobriu o Brasil – QUEM É QUE +DESCOBRIU...?

• QUE É QUE + VERBO (para animais e objetos/coisas)
A caravela de Cabral atracou na praia – O QUE É QUE + ATRACOU...?

SUJEITO SIMPLES (UM SUJEITO NÚCLEO EXPRESSO ou OCULTO)
Cabral (único sujeito núcleo expresso) descobriu o Brasil
Descobriu o Brasil (único sujeito núcleo oculto) (QUEM É QUE + DESCOBRIU...?) = ELE/CABRAL

SUJEITO COMPOSTO (MAIS DE UM SUJEITO NÚCLEO EXPRESSO ou OCULTO)
Cabral e suas caravelas (dois sujeitos núcleos expressos) Cabral + suas caravelas) chegaram à praia
chegaram à praia (QUEM É QUE/O QUE É QUE + VERBO CHEGARAM...? = ELE/CABRAL + SUAS CARAVELAS

SUJEITO INDETERMINADO (NÃO IDENTIFICADO – SE NÃO SE SABE MESMO)
Pegaram minhas roupas e partiram (QUEM É QUE + PEGARAM...?) = NÃO SE SABE/NÃO SE FAZ IDÉIA DE QUEM

SEM SUJEITO (INEXISTENTE)
Choveu ontem (Fenômeno da Natureza)
Come-se bem naquele restaurante (É APENAS UMA INFORMAÇÃO ou OPINIÃO)

2. PREDICADO (é o que se diz do sujeito, designa suas ações ou qualidades)
Cabral descobriu o Brasil (designa uma ação de DESCOBRIR)

PREDICADO VERBAL: NÚCLEO = VERBO
Eu (Sujeito) acordei (Verbo/Núcleo) cedo (Advérbio de Tempo/Adjunto Adverbial)

PREDICADO NOMINAL: NÚCLEO = PALAVRA antecedida por VERBO de LIGAÇÃO (V.L) SER/ESTAR
Eu (Sujeito) estava (Verbo de Ligação ESTAR) furiosa (Predicado Nominal/Núcleo)

PREDICADO VERBO-NOMINAL: DOIS NÚCLEOS = VERBO + PALAVRA antecedida por VERBO de LIGAÇÃO (SER/ESTAR) EXPRESSO ou OCULTO
Eu (Sujeito) achei (V.T.D/Núcleo) minha cidade diferente

3. COMPLEMENTOS VERBAIS: OBJETO DIRETO (O.D) e OBJETO INDIRETO (O.I)

Cabral descobriu o Brasil (O.D) – pois o verbo DESCOBRIR é VERBO TRANSITIVO DIRETO (V.T.D), ou seja, pede um complemento (QUEM DESCOBRE, DESCOBRE ALGO, ALGUÉM ou ALGUMA COISA – o Brasil)

Cabral gostou do Brasil (O.I) – pois o verbo GOSTAR é VERBO TRANSITIVO INDIRETO (V.T.I), ou seja, pede um complemento acompanhado de uma preposição (DE) (QUEM GOSTA, GOSTA DE ALGO, DE ALGUÉM ou DE ALGUMA COISA

OBS: DO = DE (preposição) + O (artigo)

4. COMPLEMENTO NOMINAL
Eu sinto medo de altura (COMPLEMENTO NOMINAL) pois:
De altura – COMPLEMENTA A PALAVRA/O NOME MEDO
De altura – NÃO COMPLEMENTA O VERBO SENTIR

5. ADJUNTO ADNOMINAL: ACOMPANHA O(S) NOME(S)/SUBSTANTIVO(S): Adjetivos + Artigos + Numerais + Pronomes Adjetivos + Locuções Adjetivas

A (Artigo) grande (Adjetivo) caravela (Substantivo/Sujeito) atracou (Verbo ATRACAR) na = EM (Preposição) + A(Artigo) praia (Substantivo)

6. ADJUNTO ADVERBIAL: ACOMPANHA O(S) VERBO(S), ADJETIVO(S) e ADVÉRBIO(S): (Advérbios + Locuções Adverbiais)
Eu (Sujeito) cheguei (Verbo Intransitivo) muito(Adjunto Adverbial/Advérbio de Intensidade) tarde (Advérbio de Tempo)

7. PREDICATIVO

PREDICATIVO DO SUJEITO: (EPECIFICA um ESTADO ou QUALIDADE do SUJEITO)
O(Artigo/Adjunto Adnominal) Brasil(Substantivo/Sujeito) é(Verbo SER - de Ligação) imenso(Adjetivo/Predicativo do Sujeito)

PREDICATIVO DO OBJETO DIRETO: (EPECIFICA um ESTADO ou QUALIDADE do OBJETO)
Eu (Sujeito) comprei (V.T.D) um livro maravilhoso (Adjetivo/Predicativo do O.D)

PREDICATIVO DO OBJETO INDIRETO: (EPECIFICA um ESTADO ou QUALIDADE do O.I)
Eu (Sujeito) gosto(V.T.I) de café forte e doce (dois Adjetivos/dois Predicativos do Objeto Indireto)

8. APOSTO (Explica/Resume/Particulariza/Identifica)
Fortaleza, terra do sol, está cada vez maior

9. VOCATIVO (Chamar a atenção)
Dona Maria, vá para casa.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

ARCAÍSMOS


arcaísmo

Ir para: navegação, pesquisa

Índice

 [esconder

[editar] Português

[editar] Substantivo

Singular Plural
Masculino arcaísmo arcaísmos
ar.ca.ís.mo
  1. palavra ou expressão arcaica
  2. modo de falar ou escrever antiquado

[editar] Tradução

[editar] Nuvola apps bookcase.svg Etimologia

Do latim archaismus e este do grego ἀρχαϊσμός.

[editar] Espanhol

[editar] Substantivo

arcaísmo
  1. arcaísmo
Arcaísmos

São palavras ou expressões que já pertencem ao passado da língua.

Exemplos:
Físico (em lugar de médico)
Fremoso (por formoso)
entonces (por então)
vosmecê (por você)
catar (por olhar/procurar)
vamos em boa hora (...)

Mudanças Lingüísticas

os principais aspectos que caracterizam a língua como um sistema dinâmico, em permanente transformação e mudança,

uma das principais manifestações da cultura.

processos de transformação da língua

que explicam essas mudanças e exemplificam-se alguns casos de arcaísmos representativos de processos de formação de vocábulos existentes na Língua Portuguesa.

os falantes do português do Brasil, hoje, que têm a seu dispor os mais variados meios de comunicação de massas, podem tomar conhecimento dos fatos que estão ocorrendo tanto em Belém, como no Rio de Janeiro, POA ou além das fronteiras do país, justamente porque dispõem de uma língua comum, o português, com regras específicas na sua estruturação e no seu funcionamento, sendo operacionalizada por mais de 160 milhões de pessoas. Dentro desse extenso território lingüístico, haverá lugares em que se verificam diversas mudanças formais ou semânticas em determinados vocábulos ou segmentos da língua portuguesa padrão; verificam-se, assim, os regionalismos e, no interior de cada grupo social específico, as gírias. Essas mudanças são percebidas, muitas das vezes, quando do deslocamento físico do falante para fora do seu meio lingüístico, ou mais amplamente difundida pelos meios de comunicação de massas (a novela das oito), do que resulta uma evidência de que a língua não é uniforme, única e imutável.

“o português é uma língua que não foi sempre português” e situa-a como um dos resultados da evolução do latim vulgar, que por sua vez passou por diversos estágios: língua local popular, língua clássica, língua disseminada por todo o império como latim vulgar e, posteriormente, sua transformação nas línguas romances. Remontando-se às origens, encontra-se o tronco indo-europeu que veio com os povos nômades desde as planícies da Ásia Central e difundiu-se pela Europa, resultando dele línguas como: húngaro, inglês, espanhol, irlandês, grego e outros. Produto dessa evolução, observam-se diversas mudanças lingüísticas das mais variadas ordens.

Reconhece-se, desse modo, que as variações existentes entre os indivíduos, os efeitos da vida social e cultural, fatores de ordem histórica e diversos outros vão permitir explicar a
variabilidade das línguas em contextos e condições aparentemente semelhantes.

Explica-se, então, como, por força dessas variáveis, o sermo vulgaris falado em todo o mundo romano evoluiu para as línguas romances, que por sua vez deram origem aos atuais idiomas espanhol, italiano, francês, português, catalão, romeno e outros.

evolução por estágios

A língua Portuguesa, desde que foi fixada pela escrita até nossos dias, tem sofrido várias e significativas modificações, reflexo que é de uma cultura sempre dinamizada pela força convergente de inúmeros fatores. A primeira fase do período arcaico revela um estágio dessa língua (galaico-português), cujas características ortográficas, fonéticas, morfossintáticas e estilísticas, embora a distinguem da fase seguinte, a da prosa arcaica, verdadeiramente nacional, e do português comum, deixam entrever certas vacilações que se valorizam como lastro de transição.”
as palavras, a ordem frasal, os fonemas e outros elementos sofrem mudanças decorrentes da sua evolução.
Um caso representativo dessas mudanças são os arcaísmos

VOCATIVO

9. VOCATIVO (Chamar a atenção)
Dona Maria, vá para casa.

Vocativo

Dentro da sintaxe, o vocativo é um termo de natureza exclamativa, que tem como função chamar alguém ou alguma coisa personificada. É o único termo isolado dentro da oração, pois não se liga ao verbo nem ao nome. Não faz parte do sujeito nem do predicado. A função do vocativo é chamar ou interpelar o elemento a que se está dirigindo. É marcado por sinal de pontuação e admite anteposição de interjeição de chamamento.

Exemplos

  • "Tenho certeza, amigos, de que isso vai acabar bem."
  • "Ide lá, rapazes!"
  • "José, venha cá."
  • "João, vamos logo!"
  • "Camila, saia daí!"
  • "Isabel,olhe aqui!"
  • "Deus, tenha piedade de nós!"

APOSTO

8. APOSTO (Explica/Resume/Particulariza/Identifica)
Fortaleza, terra do sol, está cada vez maior


Aposto

Aposto é um termo acessório da oração que se liga a um substantivo, tal como o adjunto adnominal, mas que, no entanto sempre aparecerá com a função de explicá-lo, aparecendo de forma isolada, ora entre vírgulas, ora separado por uma única vírgula no início ou no final de uma oração ou ainda por dois pontos.
Existem sete tipos de aposto: O aposto explicativo, o aposto enumerativo, o aposto especificativo, o aposto distributivo, aposto oracional, aposto comparativo e o aposto recapitulativo (resumidor). Na norma culta é permitido utilizar qualquer um dos apostos também entre parênteses ou entre dois travessões e outros tipos de adjunto. Exemplo:
  • O Livro foi comprado.

Aposto explicativo

É aquele que explica o termo do estudado. É acompanhado por vírgulas. Exemplo:
  • Hagar, o terrível.
  • Helena, a menina que encontramos, estava triste.
  • A morte, angústia de quem vive, ocorre ao acaso.
  • ECA ( estatuto da criança e do adolescente).

Aposto enumerativo

É aquele utilizado para enumerar dados relacionados ao termo fundamental.
Exemplo:
  • Mario possui quatro filhas: Janaína, Vitória, Bruna e Karine.
  • Tenho três amigos: José, Marcos e André.
  • A pesquisa analisou dois grupos: crianças e adolescentes.

Aposto especificativo

É aquele que especifica o termo a que se refere. Não é acompanhado de vírgulas.
Exemplo:
  • A melhor praia de Salvador é a Praia de São Tomé.
  • A cidade de São Paulo é muito famosa.
Observe, no entanto, a diferença entre As ruas de São Paulo (Adjunto adnominal) e A cidade de São Paulo (Aposto especificativo). No aposto especificativo, há uma ideia de igualdade de termos, ou seja, "A cidade" = "São Paulo", o que não ocorre em As ruas de São Paulo (paulistanas).

Aposto distributivo

É aquele que distribui as informações de termos separadamente. Geralmente, utilizado com ponto e vírgula.
Exemplo:
  • Henrique e Núbia moram no mesmo país; esta na cidade do Porto, e aquele, na cidade de Lisboa.

Aposto oracional

É o aposto que possui um verbo.
Exemplo:
  • Desejo uma única coisa: que plantem novas árvores.
  • Ele me disse apenas isso: a nossa sociedade acabou

Aposto Resumidor (Recapitulativo)

É o aposto que resume toda a oração.
Exemplo:
  • Trocar fraldas, amamentar, limpar o nariz, acordar de noite, tudo exige paciência.
  • Vento, chuva, neve, nada o impediu de cumprir sua missão.

Aposto Comparativo

É o aposto que compara.Geralmente entre vírgulas.
  • A inflação, que parece um monstro devorador dos salários, é sempre uma ameaça à estabilidade econômica do país.

PREDICATIVOS

7. PREDICATIVO

PREDICATIVO DO SUJEITO: (EPECIFICA um ESTADO ou QUALIDADE do SUJEITO)
O(Artigo/Adjunto Adnominal) Brasil(Substantivo/Sujeito) é(Verbo SER - de Ligação) imenso(Adjetivo/Predicativo do Sujeito)

PREDICATIVO DO OBJETO DIRETO: (EPECIFICA um ESTADO ou QUALIDADE do OBJETO)
Eu (Sujeito) comprei (V.T.D) um livro maravilhoso (Adjetivo/Predicativo do O.D)

PREDICATIVO DO OBJETO INDIRETO: (EPECIFICA um ESTADO ou QUALIDADE do O.I)
Eu (Sujeito) gosto(V.T.I) de café forte e doce (dois Adjetivos/dois Predicativos do Objeto Indireto)

ADJUNTOS ADNOMINAIS


5. ADJUNTO ADNOMINAL: ACOMPANHA O(S) NOME(S)/SUBSTANTIVO(S): Adjetivos + Artigos + Numerais + Pronomes Adjetivos + Locuções Adjetivas

A (Artigo) grande (Adjetivo) caravela (Substantivo/Sujeito) atracou (Verbo ATRACAR) na = EM (Preposição) + A(Artigo) praia (Substantivo)

COMPLEMENTOS NOMINAIS


COMPLEMENTO NOMINAL - É COMPLEMENTO DA PALAVRA COM VALOR DE SUBSTANTIVO, ADJETIVO OU ADVÉRBIO

EU, POR EXEMPLO, NÃO TENHO MEDO DE BARATA.

Eu sinto medo de altura (COMPLEMENTO NOMINAL) pois:
De altura – COMPLEMENTA A PALAVRA/O NOME MEDO
De altura – NÃO COMPLEMENTA O VERBO SENTIR

Complemento nominal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Complemento nominal, em análise sintática, é um termo integrante, referente a substantivo, adjetivo e advérbio, que completa o sentido de um nome.
Complemento nominal é a parte paciente, podendo ser representada.
Exemplo: "João ficou à disposição…
A pergunta inevitável é: de que? ou de quem? A resposta (da empresa, da Justiça, da família, da escola, etc.) é um complemento nominal, porque completa o sentido de um nome (à disposição).
Outros exemplos: "Faz tempo que não tenho notícia de Joaquim" "Sou favorável à sua promoção". "Tenho esperança de que seus planos dêem certo".
Os termos assinalados completam o sentido de nomes (notícia - substantivo - e favorável - adjetivo). O complemento nominal pode ser até uma oração, classificada como "subordinada substantiva completiva nominal", que completa o sentido de um substantivo, adjetivo ou advérbio da oração subordinante: "Tenho esperança de que ele venha".
A oração subordinada completa o sentido do substantivo esperança. Repare que esse tipo de oração é sempre introduzido por uma preposição, clara ou subentendida (no exemplo, a preposição "de").
Como o próprio nome já diz, o complemento nominal completa o sentido da frase.
Ex.: " Está difícil o pagamento das dívidas " das dívidas completa o sentido da frase.
E também, para finalizar, devemos saber que o termo preposicionado para ser complemento nominal terá que estar ligado a um substantivo abstrato que seja o receptor, o alvo da ação. No exemplo dado acima "pagamento" é um substantivo abstrato, pois precisa de algo para existir, e "das dívidas" é o complemento nominal, pois as "dívidas" é o agente receptor/alvo da ação, as "dívidas" estão sendo o ALVO do pagamento. O complemento nominal pode ser substantivo, adjetivo, advérbio ou expressão ou oração.

Ligações externas

Análise sintáctica
Sujeito | Predicado | Verbo | Objeto | Complemento nominal | Adjunto adnominal | Adjunto adverbial | Predicativo | Aposto | Vocativo | Agente da passiva | Conectivo
Sujeito
Sujeito simples | Sujeito composto | Sujeito oculto | Sujeito indeterminado | Ausência do Sujeito
Predicação verbal
Verbo transitivo direto | Verbo transitivo indireto | Verbo transitivo direto-indireto | Verbo intransitivo | Verbo de ligação
Objectos
Objecto directo | Objecto indirecto | Objecto pleonástico | Objeto direto preposicionado
Complementos
Complemento verbal | Complemento nominal | Complemento verbo-nominal
Frase, oração e período
Oração principal | Período composto | Oração subordinada | Oração coordenada
Ver também: Acessórios sintácticos e termos essenciais e integrantes
Além dos complementos verbais e dos complementos nominais, os termos integrantes também são constituídos pelos predicativos tanto os que se referem ao sujeito quanto os que se referem aos objetos. Os predicativos expressam um estado ou uma qualidade do sujeito ou do objeto. Podem ser representados por: substantivo ou expressão substantivada, adjetivo ou locução adjetiva, pronome, numeral ou oração subordinada substantiva predicativa. [Retirado de um livro de lingua portuguesa de Hugo Monteiro Ferreira.]
Ver avaliações
Avaliar esta página
Credibilidade
Imparcialidade
Profundidade
Redação

.

.
.
Ocorreu um erro neste gadget

É O QUE TEM PRA HOJE: "POUCO PAPO E SÓ... SU-CEEEEEEES-SO!!!"



"SIGAM-ME OS BONS" - Maria Celeste Bsp | Facebook

Google+ Followers

EU SOU POLIVALENTE!

EU SOU POLIVALENTE!