.

.
.

segunda-feira, 30 de abril de 2012

ESTUDAR...

Estudo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirus. Veja como referenciar e citar as fontes.

Estudo é o tempo que uma pessoa gasta na obtenção do conhecimento. É relativo à análise e avaliação de informações.
É o processo de aquisição de saber. O termo teria como raiz, a palavra ODO, que quer dizer: caminho. Portanto, estudo pode ser o processo de escolha do bom caminho para satisfazer um objetivo.
Pessoas que gostam de estudar, são consideradas pessoas que pensam no seu futuro, que estão preparadas para enfrentar exames, provas, testes complicados. Estudo é treinar determinadas matérias na realização de exercícios. Por exemplo: Ler umas páginas de um livro e depois fazer exercicios sobre esse mesmo para ficar na cabeça, para aprender — estudar.
Pode-se estudar de muitas maneiras, por meios de resumos, leitura, questões elaboradas por outra pessoa procurando auxiliar na aprendizagem, ou compreendendo as partes mais importantes do tema estudado.
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Estudo
Wiki letter w.svg Este artigo é mínimo. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ver avaliações
Avaliar esta página
Credibilidade
Imparcialidade
Profundidade
Redação

ÍNDIO

Índio (elemento químico)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Índio Stylised Lithium Atom.svg
CádmioÍndioEstanho
Ga
 

Tetragonal.png

49
In

 
               
               
                                   
                                   
                                                               
                                                               
In
Tl
Tabela completaTabela estendida
Aparência
cinza prateado lustroso


Fio dúctil de índio com espessura de cerca de 3 mm.
Informações gerais
Nome, símbolo, número Índio, In, 49
Série química metais representativos
Grupo, período, bloco 3B, 5, p
Densidade, dureza 7310 kg/m3, 1,2
Número CAS 7440-74-6
Propriedade atómicas
Massa atômica 114,818 u
Raio atómico (calculado) 167 pm
Raio covalente 142±5 pm
Raio de Van der Waals 193 pm
Configuração electrónica [Kr] 4d10 5s2 5p1
Elétrons (por nível de energia) 2, 8, 18, 18, 3 (ver imagem)
Estado(s) de oxidação 3, 2, 1 (óxido anfótero)
Estrutura cristalina tetragonal
Propriedades físicas
Estado da matéria sólido
Ponto de fusão 429,7485 K
Ponto de ebulição 2345 K
Entalpia de fusão 3,263 kJ/mol
Entalpia de vaporização 231,5 kJ/mol
Pressão de vapor 1 Pa a 1196 K
Velocidade do som 1215 m/s a 20 °C
Diversos
Eletronegatividade (Pauling) 1,78
Calor específico 26,74 J/(kg·K)
Condutividade térmica 81,6 W/(m·K)
Potencial de ionização 558,3 kJ/mol
Potencial de ionização 1820,7 kJ/mol
Potencial de ionização 2704 kJ/mol
Potencial de ionização 5210 kJ/mol
Isótopos mais estáveis
iso AN Meia-vida MD Ed PD
MeV
113In 4,3% estável com 64 neutrões
115In 95,7% 4,41×1014 a β 0,495 115Sn
Unidades do SI & CNTP, salvo indicação contrária.
O índio (do latim indicum, índigo ou anil) é um elemento químico de símbolo In de número atômico 49 (49 prótons e 49 elétrons) e de massa atómica igual a 114,8 u. À temperatura ambiente, o Índio encontra-se no estado sólido.
É um metal do grupo 13 ( IIIA ) da classificação periódica dos elementos. É pouco abundante, maleável, facilmente fundível, quimicamente similar ao alumínio e gálio, porém mais parecido com o zinco. A principal fonte de obtenção do índio é a partir das minas de zinco. Usado na fabricação de telas de cristais líquidos e na formação de películas delgadas que servem como lubrificantes. Foi descoberto por Ferdinand Reich e Theodor Richter em 1863 quando estavam buscando tálio em minas de zinco.

Índice

Características principais

O Índio é um metal branco prateado brilhante . Quando o metal é dobrado, emite um som característico. Seu estado de oxidação mais característico é o +3, ainda que apresente o estado +1 em alguns compostos.

Aplicações

Foi empregado durante a Segunda Guerra Mundial como revestimento em motores de alto rendimento de aviões. Depois da guerra foi destinado a novas aplicações: em ligas metálicas, em soldas e na indústria eletrônica.
Nos anos 80 despertou o seu interesse no uso de fosfatos de índio semicondutores e películas delgadas de óxidos de índio e estanho para e desenvolvimento de telas de cristais líquidos ( LCD ).
Outras aplicações:

História

O índio ( nome procedente da linha de cor índico de seu especto atômico ) foi descoberto por Ferdinand Reich e Theodor Richter em 1863 quando estavam buscando tálio em minas de zinco com o uso de um espectrógrafo. Foi isolado por Ritcher em 1867.

Abundância e obtenção

O Índio é usado na produção de telas de cristais líquidos.
É produzido principalmente a partir dos resíduos gerados no processamento dos minérios de zinco. Também é encontrado em minas de ferro, chumbo e cobre. É obtido mediante a eletrólise de seus sais.
A quantidade de índio consumida está muito relacionado com a produção mundial de telas de cristais líquidos (LCD). O aumento da eficiência de produção e reciclagem (especialmente no Japão) mantém o equilíbrio entre a demanda e o fornecimento.
Até 1924 só havia um grama do elemento isolado no mundo. Estima-se que a crosta terrestre tem aproximadamente 0,1 ppm de índio (tão abundante quanto a prata). O principal produtor de índio é o Canadá.

Precauções

Há certas evidências não confirmadas que sugerem que o índio apresente uma toxicidade baixa. Na indústria de semicondutores e em soldas, onde as exposições são relativamente altas, não se tem notícias de efeitos colaterais.

Referências

Ligações externas

Commons
O Commons possui multimídias sobre Índio (elemento químico)


Ver avaliações
Avaliar esta página
Credibilidade
Imparcialidade
Profundidade
Redação

Indígenas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Índia Tobá (Brasil) fotografada por Marc Ferrez, 1876.
São designados como povos aborígenes, autóctones, nativos, ou indígenas (sendo os indígenas nativos das Américas também chamados de vermelhos ou peles-vermelhas), aqueles que viviam numa área geográfica antes da sua colonização por outro povo ou que, após a colonização, não se identificam com o povo que os coloniza. A expressão povo indígena, literalmente "originário de determinado país, região ou localidade; nativo", é muito ampla, abrange povos muito diferentes espalhados por todo o mundo. Em comum, têm o fato de que cada um se identifica com uma comunidade própria, diferente acima de tudo da cultura do colonizador. É frequente associar o termo aborígene australiano a um conjunto de povos indígenas específico da Austrália.
A ONU definiu em nota técnica que:
"As comunidades, os povos e as nações indígenas são aqueles que, contando com uma continuidade histórica das sociedades anteriores à invasão e à colonização que foi desenvolvida em seus territórios, consideram a si mesmos distintos de outros setores da sociedade, e estão decididos a conservar, a desenvolver e a transmitir às gerações futuras seus territórios ancestrais e sua identidade étnica, como base de sua existência continuada como povos, em conformidade com seus próprios padrões culturais, as instituições sociais e os sistemas jurídicos.[1] "Hoje, são 230 povos e, pelo menos a metade, vive quase que exclusivamente das fontes tradicionais (caça e pesca), como os Piripikura que vivem no Mato Grosso, enquanto outros já sabem usar computador, falam português e até atuam como políticos. Como você pode perceber, não dá para generalizar o modo de viver dos índios porque cada grupo vive de um jeito. Muitas pessoas se lamentam por pensarem que os indígenas estão perdendo sua cultura por ficarem cada vez mais parecidos com os homens brancos.[carece de fontes]

Índice

Povos indígenas

Austrália

Aborígenes australianos em foto de 1939
Os aborígenes australianos formam uma população, assim como os grupos indígenas, que foi vítima de massacres pelos colonizadores e discriminados por parte da população dita civilizada. Os colonizadores ingleses foram os primeiros responsáveis pelos massacres das comunidades indígenas australianas. Soldados ingleses aproximavam das aldeias e ofereciam agrados para a população local. Entretanto, outros soldados envenenavam com arsênio a água e os alimentos dessa população.[2] Vários aborígenes morreram em consequência do envenenamento causado por esse elemento químico. Atualmente os aborígenes correspondem a 1% da população australiana.[2]

América

Quando os europeus chegaram ao continente americano no século XV ele era habitado por centenas de etnias indígenas. Durante o processo da colonização as populações indígenas foram escravizadas, tendo havida expressiva depopulação.

Brasil

O Caçador de Escravos
de Jean-Baptiste Debret.
A presença dos índios no território brasileiro é muito anterior ao processo de ocupação estabelecido pelos exploradores europeus que aportaram em suas terras. Segundo estimativas, a população indígena brasileira variava entre três e cinco milhões de habitantes.[3] Nessa vasta população, havia a presença de etnias de diferentes filiações linguísticas, entre as quais podem-se citar os panos, caribes, tupi-guaranis, jês e outros.
Aponta-se para uma tendência do índio passar a viver em cidades para poder estudar e ter acesso a outros recursos e o reisco de favelização diante das dificuldades para se manter no meio urbano [4]

Reservas indígenas no Brasil

Como o próprio nome diz, Reservas Indígenas no Brasil, são áreas federais reservadas para a utilização dos indígenas brasileiros para servir-lhes como meio de subsistência. Essas áreas são importantes para conservação cultural brasileira. Em 2008, as áreas de reservas destinadas a grupos de indígenas no Brasil ocupavam cerca de 12,5% do território nacional.[5]

Ver também

Referências

  1. Luciano, G.S. (2006). O Índio Brasileiro: o que você precisa saber sobre os povos indígenas no Brasil de hoje.. Edições MEC/Unesco. Página visitada em 24 de março de 2011.
  2. a b Cerqueira, Wagner. Aborígenes. Página visitada em 03/09/2011.
  3. Sousa, Rainer. Índios no Brasil. Página visitada em 03/09/2011.
  4. MADUEÑO, Denise (25 de março de 2010). Questão indígena - cresce o número de indígenas nas cidades. Caderno Nacional. Jornal O Estado de S.Paulo
  5. Reservas indígenas ocupam 12,5% do território brasileiro (09 de Maio de 2008). Página visitada em 03/09/2011.

Bibliografia

  1. DENEVAN, William (editor). The native population of the Americas in 1542. 1 ed. Madison, Winconsin: The University of Winsconsin Press, 1976. 1 vol. vol. Parte IV: South America.
  2. RIBEIRO, Berta G.. Amazonia urgent: five centuries of history and ecology. 1 ed. Belo Horizonte, MG: Itatiaia/Editora UFMG, 1992. 1 vol.

Ligações externas

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Indígenas
O Commons possui uma categoria com multimídias sobre Indígenas
Ver avaliações
Avaliar esta página
Credibilidade
Imparcialidade
Profundidade
Redação

.

.
.
Ocorreu um erro neste gadget

É O QUE TEM PRA HOJE: "POUCO PAPO E SÓ... SU-CEEEEEEES-SO!!!"



"SIGAM-ME OS BONS" - Maria Celeste Bsp | Facebook

Google+ Followers

EU SOU POLIVALENTE!

EU SOU POLIVALENTE!