.

.
.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

ENTRE AVE E EVA - MÚSICA MEDIEVAL




Cantigas Trovadorescas


Sistema automatizado para a sua catalogaçom e ediçom em linha

[ Menu Inicial | Galeria Imagens | Pesquisa Avançada ]


    Dados Cantiga Seleccionada

Texto e informaçom complementar

Cantigas de Santa Maria   60 [= 2060]

«Entre Av' e Eva gram departiment' há»

(E 60, T 60, U 70)
[Cantiga de louvor; de refrão].
Esta é de loor de Santa Maria, do departimento que há entre Ave e Eva.
R0 1 Entre Av' e Eva  |  gram departiment' há.
I 2         Ca Eva nos tolheu
        o paraís' e Deus;
4         Ave nos i meteu.
        Porend', amigos meus,
R1 6 entre Av' e Eva  |  gram departiment' há.
II 7         Eva nos foi deitar
        do dem' em sa prijom,
9         e Ave ém sacar;
        e por esta razom
R2 11 entre Av' e Eva  |  gram departiment' há.
III 12         Eva nos fez perder
        amor de Deus e bem,
14         e pois Ave haver
        no-lo fez. E porém
R3 16 entre Av' e Eva  |  gram departiment' há.
IV 17         Eva nos enserrou
        os ceos sem chave,
19         e Maria britou
        as portas per Ave.
R4 21 Entre Av' e Eva  |  gram departiment' há.

Nota(s):

O refrão desta cantiga vem-se editando em dois versos; assim o edita também Mettmann:

                        Entre Av' e Eva
                        gran departiment' á.

Em princípio trata-se de um pentassílabo grave e um hexassílabo agudo. Esta distribuição acha confirmação na medida dos restantes versos da cantiga, que são igualmente quer hexassílabos agudos quer pentassílabos graves (os quais pela chamada «lei de Mussafia» equivalem metricamente aos hexassílabos agudos, como é sabido). Mas, dado que nenhum desses dois versos do refrão rima com nenhum outro da composição, todos entendem que rimam entre si em a e que portanto cumpre lermos Evá.

À primeira vista parece tratar-se, pois, de mais um caso de aplicação da «lei de Mussafia», segundo a qual no último vocábulo de um verso grave se conta também, a efeitos métricos, a sílaba final átona, como se o vocábulo final fosse agudo e não grave; tudo isto para fazer acomodar versos graves e agudos a uma mesma melodia.
O extraordinário no caso presente é que tal oxitonização afectaria também a rima (Evá em vez de Eva). A regra é que os vocábulos paroxítonos afectados pela «lei de Mussafia» mantêm a sua própria tonicidade silábica sob o aspecto rimático: possuem rima grave entre si, apesar de ser considerados metricamente agudos. Portanto, métrica e rima funcionam nesses casos independentemente uma da outra. É o que sucede na estrofe quarta: chave e Ave são vocãbulos paroxítonos com rima entre si. Também no refrão, pois, deveríamos esperar que Eva rimasse com outro vocábulo em -éva; não sucede assim, pois a rima é, como fica dito, em á.
A possível alternativa de supormos que a rima é paroxítona não melhoraria a situação. Para isto não seria talvez grave obstáculo a necessidade de tornar átona para o caso a forma verbal , visto que algo parecido sucede na cantiga 2070 (= CSM 70), onde se atonifica para formar rima em ia com o advérbio tónico i, embora o caso não seja exactamente idêntico. Mas a rima resultante seria assoante (éva com enta), que não parece admissível (pois seria o único exemplo de rima assoante nas CSM).

Se apesar de tudo quisermos defender a rima em a de Evá com , teríamos que admitir, à vista da anomalia da rima, que em Evá não se trata de um caso de aplicação da «lei de Mussafia», mas simplesmente de uma pronúncia oxítona realmente existente /e'va/, ligada à forma hebraica do nome, e concorrente com a pronúncia paroxítona /'ε va/, esta ligada à pronúncia latina do nome hebraico. Achar-nos-íamos, pois, ante um fenómeno não de natureza métrica mas de base linguística. A convivência com a comunidade judia, em cuja fala romance abundavam as formas agudas dos nomes bíblicos, estaria na origem deste facto, induzido pela necessidade da rima. No entanto, a acentuação grave /'ε va/ devia de ser a mais comum, dado que foi a que se perpetuou na língua até hoje (e igualmente nas outras línguas românicas); que existia já no século xiii confirma-se pela cant. 2320 (= CSM 320), cujo refrão de dois versos  -ambos hexassílabos graves-  apresenta rima em éva, agindo como palavras rimantes a forma verbal leva (2320.2R) e o antropónimo Eva (2320.3R).
Como esta pronúncia paroxítona do nome Eva é segura, e, pelo contrário, a oxítona Evá é mais bem hipotética, dou preferência à estruturação métrica correspondente a esse facto. De resto, a antítese de Ave e Eva, que constitui um tópico da poesia mariana medieval, favorece também a conclusão de que Eva deve de ser aqui vocábulo paroxítono, visto que Ave aparece como paroxítono no v. 20, como fica dito, em rima com chave. No entanto, cumpre ter em conta que avé ocorre também em rima oxítona é por duas vezes (nas cc. 2415 e 2419).
O autor
Afonso [X o Sábio] [= Tav 18]
Biografia. O rei Afonso X de Castela, conhecido na historiografia como «o Sábio», nasceu em Toledo em 1221, e faleceu em Sevilha em 1284 com 63 anos de idade. Era filho de Fernando III o Santo (rei de Castela desde 1217, e também de Leão desde 1229-1230) e da sua mulher Beatriz de Suábia.

Já antes de ser rei desempenhou um papel de primeira linha nas conquistas, promovidas por seu pai, de territórios do sul peninsular ocupados pelos árabes (Múrcia em 1243, Jaém em 1246, Sevilha em 1248). Em 1246-47 penetrou em Portugal com a fracassada expedição militar de apoio ao deposto rei Sancho II.

À morte de seu pai em 1252, Afonso, com 31 anos, herdou dele, como filho primogénito, a coroa dos reinos de Leão e Castela (os quais, antes distintos durante longo tempo, ficaram definitivamente unidos em 1230). O reino de Leão, por sua vez, englobava dentro de si o que fora o antigo reino da Galiza, de fala portuguesa.

Afonso X foi rei durante 32 anos: desde 1252 a 1284. Algumas das suas composições poéticas, especialmente das Cantigas de Santa Maria, encerram abundantes referências de natureza biográfica (ou autobiográfica).

Da biografia de Afonso X há um aspecto, relativo à sua produção literária, que não está ainda suficientemente esclarecido: a saber, se a preferência pela língua portuguesa para a obra poética deve algo a uma estadia do futuro rei durante a infância em terras galegas. Em geral os biógrafos inclinam-se a admitir a possibilidade de que o príncipe Afonso se criasse na Galiza (talvez na comarca de Alhariz) durante algum tempo, como sabemos aconteceu com seu pai e com outros reis leoneses. Caso existisse, essa estadia deveria ter sido depois de que seu pai Fernando III passou a ser também rei de Leão (1230), quando a Galiza entrou a formar parte do seu reino. Nessa altura (1230) o príncipe Afonso (nascido em 1221) tinha 9 anos. A partir desse momento, pois, poderíamos talvez admitir alguma breve estadia na Galiza, não superior a um ano, mais ou menos; porém, mesmo isto resulta inseguro, e faltam dados históricos que confirmem o que é uma simples suposição indiciária.

Este capítulo biográfico tem importância também para alguns aspectos da língua usada pelo rei nos seus poemas, fonética e léxico especialmente. De resto, esse assunto liga-se também com outro problema, a que já foi feita alusão na apresentação geral da poesia trovadoresca: o do grau de intervenção pessoal do rei na redacção das suas obras literárias em geral, e, especialmemente, das poesias em língua portuguesa. É incerto em que medida o próprio Afonso X foi autor dessas composições, sobretudo das Cantigas de Santa Maria (com excepção talvez de umas poucas que aparecem redigidas em primeira pessoa pelo próprio rei, nas quais podemos supor que o seu papel como autor foi mais decisivo).

Afonso X foi –ademais de autor– promotor da poesia trovadoresca: a sua corte foi centro de acolhida de trovadores e jograis, especialmente de língua portuguesa, mas também de língua provençal.

Já se tem notado repetidamente que, apesar de usar a língua portuguesa para a sua obra poética, Afonso X não parece mostrar um afecto especial pela Galiza, o território dos seus reinos onde essa língua era nativa. Especialmente significativo pode ser que não tenha visitado a Galiza nem sequer uma vez nos 32 anos (1252-1284) que durou o seu reinado, feito insólito nos reis castelhano-leoneses (os quais não deixavam de acudir, alguma vez pelo menos, em peregrinação a Santiago de Compostela).
Obra poética: 42 cantigas profanas (cc. 452-494, 1531, 1636) e 420 CSM1.

1 As CSM som 420, nom 429, apesar de que assim pode parecer. A explicação do facto está em que há 9 cantigas repetidas no ms. por descuido dos autores/organizadores da colecção. Como os precedentes editores, optei por manter esses 9 números vazios, já que, em caso contrário, resultaria destruída a estuturação decenal que as CSM possuem.

Cantigas repetidas:

[2373 [= CSM 373]   AfXCSM   cantiga repetida no códice E (E 267, E 373, F [53]) = cant. 2267]
[2387 [= CSM 387]   AfXCSM   cantiga repetida no códice E (E 349, E 387) = cant. 2349]
[2388 [= CSM 388]   AfXCSM   cantiga repetida no códice E (E 295, E 388) = cant. 2295]
[2394 [= CSM 394]   AfXCSM   cantiga repetida no códice E (E 187, E 394, T 186) = cant. 2187]
[2395 [= CSM 395]   AfXCSM   cantiga repetida no códice E (E 165, E 395, T 165) = cant. 2165]
[2396 [= CSM 396]   AfXCSM   cantiga repetida no códice E (E 289, E 396) = cant. 2289]
[2397 [= CSM 397]   AfXCSM   cantiga repetida no códice E (E 192, E 397, T 192) = cant. 2192]
[2412 [= CSM 412]   AfXCSM   cantiga repetida no códice E (E [FSM] 2, E 340) = cant. 2340]
[2416 [= CSM 416]   AfXCSM   cantiga repetida no códice E (E [FSM] 6, E 210, F [96]) = cant. 2210]
Cantigas do autor ...
«Dom Afonso, de Castela»AfXCSM   cant. 000A [= 2000A]
«Porque trobar é cousa em que jaz»AfXCSM   cant. 000B [= 2000B]
«Des hojemais quer' eu trobar»AfXCSM   cant. 001 [= 2001]
«Muito devemos, varões»AfXCSM   cant. 002 [= 2002]
«Mais nos faz Santa Maria»AfXCSM   cant. 003 [= 2003]
«A madre do que livrou»AfXCSM   cant. 004 [= 2004]
«Que-nas coitas deste mundo bem quiser sofrer»AfXCSM   cant. 005 [= 2005]
«A que do bom rei Davi»AfXCSM   cant. 006 [= 2006]
«Santa Maria amar»AfXCSM   cant. 007 [= 2007]
«A Virgem Santa Maria / todos a loar devemos»AfXCSM   cant. 008 [= 2008]
«Porque nós hajamos»AfXCSM   cant. 009 [= 2009]
«Rosa das rosas e fror das frores»AfXCSM   cant. 010 [= 2010]
«Macar home per folia»AfXCSM   cant. 011 [= 2011]
«O que a Santa Maria mais despraz»AfXCSM   cant. 012 [= 2012]
«Assi como Jesu-Cristo, estando na cruz, salvou»AfXCSM   cant. 013 [= 2013]
«Par Deus, muit' é gram razom»AfXCSM   cant. 014 [= 2014]
«Todo-los santos que som no ceo, de servir muito ham gram sabor»AfXCSM   cant. 015 [= 2015]
«Quem dona fremosa e bõa quiser amar»AfXCSM   cant. 016 [= 2016]
«Sempre seja bẽeita e loada»AfXCSM   cant. 017 [= 2017]
«Por nos de dulta tirar»AfXCSM   cant. 018 [= 2018]
«Gram sandece faz quem se por mal filha»AfXCSM   cant. 019 [= 2019]
«Virga de Jesse»AfXCSM   cant. 020 [= 2020]
«Santa Maria pod' enfermos guarir»AfXCSM   cant. 021 [= 2021]
«Mui gram poder há a madre de Deus»AfXCSM   cant. 022 [= 2022]
«Como Deus fez vinho d' água ant' Archetecrinho»AfXCSM   cant. 023 [= 2023]
«Madre de Deus, nom pod' errar quem em ti há fiança»AfXCSM   cant. 024 [= 2024]
«Pagar bem pod' o que dever»AfXCSM   cant. 025 [= 2025]
«Nom é gram cousa se sabe bom joízo dar»AfXCSM   cant. 026 [= 2026]
«Nom devemos por maravilha tẽer»AfXCSM   cant. 027 [= 2027]
«Todo logar mui bem pode seer defendudo»AfXCSM   cant. 028 [= 2028]
«Nas mentes sempre tẽer»AfXCSM   cant. 029 [= 2029]
«Muito valvera mais, se Deus m' ampar»AfXCSM   cant. 030 [= 2030]
«Tanto, se Deus me perdom»AfXCSM   cant. 031 [= 2031]
«Quem loar podia»AfXCSM   cant. 032 [= 2032]
«Gram poder há de mandar»AfXCSM   cant. 033 [= 2033]
«Gram dereit' é que filh' o demo por escarmento»AfXCSM   cant. 034 [= 2034]
«O que a Santa Maria der algo ou prometer»AfXCSM   cant. 035 [= 2035]
«Muit' amar devemos em nossas voontades»AfXCSM   cant. 036 [= 2036]
«Miragres fremosos»AfXCSM   cant. 037 [= 2037]
«Pois que Deus quis da Virgem filho»AfXCSM   cant. 038 [= 2038]
«Torto seria grand' e desmesura»AfXCSM   cant. 039 [= 2039]
«Deus te salve, groriosa»AfXCSM   cant. 040 [= 2040]
«A Virgem, madre de Nostro Senhor»AfXCSM   cant. 041 [= 2041]
«A Virgem mui groriosa»AfXCSM   cant. 042 [= 2042]
«Porque é Santa Maria leal e mui verdadeira»AfXCSM   cant. 043 [= 2043]
«Quem fiar na madre do salvador»AfXCSM   cant. 044 [= 2044]
«A Virgem Santa Maria tant' é de gram piedade»AfXCSM   cant. 045 [= 2045]
«Nom deve nulh' home desto per rem dultar»AfXCSM   cant. 050 [= 2050]
«Mui grandes noit' e dia»AfXCSM   cant. 057 [= 2057]
«Entre Av' e Eva gram departiment' há»AfXCSM   cant. 060 [= 2060]
«Quem mui bem quiser o que ama guardar»AfXCSM   cant. 064 [= 2064]
«Eno nome de Maria»AfXCSM   cant. 070 [= 2070]
«Homildade com pobreza»AfXCSM   cant. 075 [= 2075]
«Que-nas sas figuras da Virgem partir»AfXCSM   cant. 076 [= 2076]
«Da que Deus mamou o leite do seu peito»AfXCSM   cant. 077 [= 2077]
«Nom pode prender nunca morte vergonhosa»AfXCSM   cant. 078 [= 2078]
«Ai Santa Maria»AfXCSM   cant. 079 [= 2079]
«De graça chẽa e d' amor»AfXCSM   cant. 080 [= 2080]
«Par Deus, tal senhor muito val»AfXCSM   cant. 081 [= 2081]
«A Santa Maria mui bom servir faz»AfXCSM   cant. 082 [= 2082]
«Aos seus acomendados»AfXCSM   cant. 083 [= 2083]
«Muito punha d' os seus honrar»AfXCSM   cant. 087 [= 2087]
«Sola fústi, senlheira»AfXCSM   cant. 090 [= 2090]
«A Virgem nos dá saúd' e»AfXCSM   cant. 091 [= 2091]
«Muito se devem tẽer»AfXCSM   cant. 099 [= 2099]
«Santa Maria, / 'strela do dia»AfXCSM   cant. 100 [= 2100]
«Bem pod' a senhor sem par»AfXCSM   cant. 101 [= 2101]
«Sempr' aos seus val»AfXCSM   cant. 102 [= 2102]
«Que-na Virgem bem servirá»AfXCSM   cant. 103 [= 2103]
«Nunca já pod' aa Virgem home tal pesar fazer»AfXCSM   cant. 104 [= 2104]
«Gram piedad' e mercê e nobreza»AfXCSM   cant. 105 [= 2105]
«Prijom forte nem dultosa»AfXCSM   cant. 106 [= 2106]
«Tant' é Santa Maria de bem mui comprida»AfXCSM   cant. 110 [= 2110]
«Dereit' é de lume dar a que madr' é do lume»AfXCSM   cant. 116 [= 2116]
«Quantos me creverem loarám»AfXCSM   cant. 120 [= 2120]
«Miragres muitos pelos reis faz»AfXCSM   cant. 122 [= 2122]
«O que pola Virgem leixa o de que gram sabor há»AfXCSM   cant. 124 [= 2124]
«Quem entender quiser, entendedor»AfXCSM   cant. 130 [= 2130]
«Resurgir pode e fazê-los seus»AfXCSM   cant. 133 [= 2133]
«A Santa Maria dadas»AfXCSM   cant. 140 [= 2140]
«Com razom é d' haverem gram pavor»AfXCSM   cant. 144 [= 2144]
«A que Deus ama, amar devemos»AfXCSM   cant. 150 [= 2150]
«Tam grand' amor há a Virgem com Deus, seu filh', e juntança»AfXCSM   cant. 154 [= 2154]
«Nom sofre Santa Maria de seerem perdidosos»AfXCSM   cant. 159 [= 2159]
«Quem bõa dona querrá»AfXCSM   cant. 160 [= 2160]
«Loar devemos a que sempre faz»AfXCSM   cant. 170 [= 2170]
«Velha e mininha»AfXCSM   cant. 180 [= 2180]
«Bem pode Santa Maria guarir de toda poçom»AfXCSM   cant. 189 [= 2189]
«Pouco devemos preçar»AfXCSM   cant. 190 [= 2190]
«Santa Maria loei»AfXCSM   cant. 200 [= 2200]
«Muit' é mais a piadade de Santa Maria»AfXCSM   cant. 201 [= 2201]
«Muito há Santa Maria, madre de Deus, gram sabor»AfXCSM   cant. 202 [= 2202]
«Quem polo amor de Santa Maria, do seu, fezer»AfXCSM   cant. 203 [= 2203]
«Aquel que a Virgem Santa Maria quiser servir»AfXCSM   cant. 204 [= 2204]
«Oraçom com piadade oe a Virgem de grado»AfXCSM   cant. 205 [= 2205]
«Quem souber Santa Maria bem de coraçom amar»AfXCSM   cant. 206 [= 2206]
«Se home fezer de grado pola Virgem algum bem»AfXCSM   cant. 207 [= 2207]
«Aquele que ena Virgem carne, por seer veúdo»AfXCSM   cant. 208 [= 2208]
«Muito faz grand' erro, e em torto jaz»AfXCSM   cant. 209 [= 2209]
«Muito foi noss' amigo»AfXCSM   cant. 210 [= 2210]
«E que-na nom loará»AfXCSM   cant. 220 [= 2220]
«Tod' home deve dar loor»AfXCSM   cant. 230 [= 2230]
«Os pecadores todos loarám»AfXCSM   cant. 240 [= 2240]
«Por nós, Virgem madre»AfXCSM   cant. 250 [= 2250]
«Dized', ai trobadores»AfXCSM   cant. 260 [= 2260]
«Pois aos seus, que ama, defende todavia»AfXCSM   cant. 264 [= 2264]
«A que poder há d' os mortos de os fazer resorgir»AfXCSM   cant. 269 [= 2269]
«Todos com alegria cantand' e em bom som»AfXCSM   cant. 270 [= 2270]
«A que nos guarda do gram fog' infernal»AfXCSM   cant. 275 [= 2275]
«Santa Maria bẽeita seja»AfXCSM   cant. 280 [= 2280]
«Quem bem fiar na Virgem de todo coraçom»AfXCSM   cant. 284 [= 2284]
«Maldito seja quem nom loará»AfXCSM   cant. 290 [= 2290]
«Par Deus, muit' é gram dereito de prender grand' ocajom»AfXCSM   cant. 293 [= 2293]
«Muito deveria»AfXCSM   cant. 300 [= 2300]
«Muito per-dev' a reinha»AfXCSM   cant. 310 [= 2310]
«Tant' aos pecadores a Virgem val de grado»AfXCSM   cant. 315 [= 2315]
«Quenquer mui bem pod' a Virgem groriosa»AfXCSM   cant. 319 [= 2319]
«Santa Maria leva»AfXCSM   cant. 320 [= 2320]
«A Santa Maria muito lh' é greu»AfXCSM   cant. 326 [= 2326]
«Porque bem Santa Maria»AfXCSM   cant. 327 [= 2327]
«Sabor há Santa Maria, de que Deus por nós foi nado»AfXCSM   cant. 328 [= 2328]
«Muito per-é gram dereito de castigado seer»AfXCSM   cant. 329 [= 2329]
«Qual é a santivigada»AfXCSM   cant. 330 [= 2330]
«Ena que Deus pôs vertude grand' e sempr' em ela crece»AfXCSM   cant. 331 [= 2331]
«Atám gram poder o fogo nom há, per rem, de queimar»AfXCSM   cant. 332 [= 2332]
«Conhoçudamente mostra miragres Santa Maria»AfXCSM   cant. 333 [= 2333]
«De resorgir home morto deu Nostro Senhor poder»AfXCSM   cant. 334 [= 2334]
«Muitos que pelos pecados que fazem perdem o lume»AfXCSM   cant. 338 [= 2338]
«Em quantas guisas os seus acorrer»AfXCSM   cant. 339 [= 2339]
«Virgem madre groriosa»AfXCSM   cant. 340 [= 2340]
«Com' há gram pesar a Virgem dos que gram pecado fazem»AfXCSM   cant. 341 [= 2341]
«Com razom nas creaturas figura pode mostrar»AfXCSM   cant. 342 [= 2342]
«A madre do que o demo fez no mudo que falasse»AfXCSM   cant. 343 [= 2343]
«Os que a Santa Maria sabem fazer reverença»AfXCSM   cant. 344 [= 2344]
«Sempr' a Virgem groriosa faz aos seus entender»AfXCSM   cant. 345 [= 2345]
«Com' a grand' enfermidade em sãar muito demora»AfXCSM   cant. 346 [= 2346]
«A madre de Jesu-Cristo, o verdadeiro Messias»AfXCSM   cant. 347 [= 2347]
«Bem parte Santa Maria sas graças e seus tesouros»AfXCSM   cant. 348 [= 2348]
«Muito praz à Virgem santa, que Deus filhou por parenta»AfXCSM   cant. 349 [= 2349]
«Santa Maria, senhor»AfXCSM   cant. 350 [= 2350]
«A que Deus avondou tanto que quiso dela nacer»AfXCSM   cant. 351 [= 2351]
«Fremosos miragres mostra a madre da fremosura»AfXCSM   cant. 352 [= 2352]
«Quem a omagem da Virgem e de seu Filho honrar»AfXCSM   cant. 353 [= 2353]
«Nom é mui gram maravilha se sabe fazer lavor»AfXCSM   cant. 356 [= 2356]
«Como torc' o dem' os nembros do home per seus pecados»AfXCSM   cant. 357 [= 2357]
«A que às cousas coitadas d' ajudar muit' é tẽúda»AfXCSM   cant. 358 [= 2358]
«Loar devemos a Virgem porque nos sempre gaanha»AfXCSM   cant. 360 [= 2360]
«Em bom ponto vimos esta senhor que loamos»AfXCSM   cant. 363 [= 2363]
«Quem por serviço da Virgem mete seu corp' em ventura»AfXCSM   cant. 364 [= 2364]
«Grandes miragres faz Santa Maria»AfXCSM   cant. 367 [= 2367]
«Loemos muit' a Virgem Santa Maria»AfXCSM   cant. 370 [= 2370]
«Muit' éste maior cousa em querer-se mostrar»AfXCSM   cant. 372 [= 2372]
«Em todo nos faz mercee»AfXCSM   cant. 375 [= 2375]
«Muito nos faz gram mercee Deus Padre, Nostro Senhor»AfXCSM   cant. 378 [= 2378]
«Sem calar»AfXCSM   cant. 380 [= 2380]
«A que avondou do vinho aa dona de Bretanha»AfXCSM   cant. 386 [= 2386]
«A que pera paraíso irmos nos mostra caminhos»AfXCSM   cant. 389 [= 2389]
«Sempre faz o melhor»AfXCSM   cant. 390 [= 2390]
«Como pod' a groriosa os mortos fazer viver»AfXCSM   cant. 391 [= 2391]
«Macar é Santa Maria senhor de mui gram mesura»AfXCSM   cant. 392 [= 2392]
«Macar é door a rávia maravilhosa e forte»AfXCSM   cant. 393 [= 2393]
«A madre do pastor bõo, que conhoceu seu gãado»AfXCSM   cant. 398 [= 2398]
«Quem usar na de Deus madre falar, e amiga»AfXCSM   cant. 399 [= 2399]
«Pero cantigas de loor»AfXCSM   cant. 400 [= 2400]
«Macar poucos cantares acabei e com som»AfXCSM   cant. 401 [= 2401]
«Santa Maria, nembre-vos de mi»AfXCSM   cant. 402 [= 2402]
«Haver nom poderia»AfXCSM   cant. 403 [= 2403]
«Nom é sem guisa d' enfermos sãar»AfXCSM   cant. 404 [= 2404]
«De muitas guisas mostrar»AfXCSM   cant. 405 [= 2405]
«Bem venhas, maio, e com alegria»AfXCSM   cant. 406 [= 2406]
«Como o demo cofonder»AfXCSM   cant. 407 [= 2407]
«D' espirital cilurgia»AfXCSM   cant. 408 [= 2408]
«Cantando e com dança»AfXCSM   cant. 409 [= 2409]
«Quem Santa Maria servir»AfXCSM   cant. 410 [= 2410]
«Bẽeito foi o dia, e bem-aventurada»AfXCSM   cant. 411 [= 2411]
«Tod' aqueste mund' a loar deveria»AfXCSM   cant. 413 [= 2413]
«Como Deus é comprida Trĩidade»AfXCSM   cant. 414 [= 2414]
«Tam bẽeita foi a saudaçom»AfXCSM   cant. 415 [= 2415]
«Nobre dom e mui preçado foi Santa Maria dar»AfXCSM   cant. 417 [= 2417]
«Os sete dões que dá»AfXCSM   cant. 418 [= 2418]
«Des quando Deus sa madre aos ceos levou»AfXCSM   cant. 419 [= 2419]
«Bẽeita és, Maria, filha, madr' e criada»AfXCSM   cant. 420 [= 2420]
«Nembre-se-te, madre»AfXCSM   cant. 421 [= 2421]
«Madre de Deus, ora»AfXCSM   cant. 422 [= 2422]
«Como podemos a Deus gradecer»AfXCSM   cant. 423 [= 2423]
«Pois que dos reis Nostro Senhor»AfXCSM   cant. 424 [= 2424]
«Alegria, alegria»AfXCSM   cant. 425 [= 2425]
«Subiu ao ceo o Filho de Deus»AfXCSM   cant. 426 [= 2426]
«Todo-los bẽes que nos Deus»AfXCSM   cant. 427 [= 2427]


[ Há 0 Comentário(s) para esta Cantiga | Escrever um Comentário para esta Cantiga ]

[ Menu Inicial | Galeria Imagens | Pesquisa Avançada ]


Modulo original por ErMagoMerlino
WWW.Merlitos.COM
Versom do Módulo 2.0.2.Beta
Conselho de Redacçom do PGL Conselho de Redacçom do PGL
Termos de uso legal Termos de uso legal  Privacidade e protecçom de dados Privacidade e protecçom de dados.
Pode usar as nossas notícias adaptando manualmente os ficheiros backend.php e ultramode.txt;
ou copiando a directiva criada automaticamente no Easynews do PGL.

Copyright © 2002, 2004, PGL.
É permitida a reproduçom total ou parcial do conteúdo do PGL sempre que se citar a fonte.
As notícias assinadas e comentários som responsabilidade dos seus autores.

Os direitos de cópia do código do motor do sítio web estám reservados por PHP-Nuke (Copyright © 2003).
PHP-Nuke é um programa de livre distribuiçom lançado sob a licença GNU/GPL.

Geraçom da Página: 0.679 Segundos

ROMA - HBO


Rome

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rome
Roma (PT/BR)
Cenário usado na gravação do seriado Roma, Cinecittà studios - Roma, Itália.
Informação geral
Formato
Duração 55 minutos aprox.
Criador(es) John Milius
William J. MacDonald
Bruno Heller
País de origem Estados Unidos Estados Unidos
Reino Unido Reino Unido
Itália Itália
Idioma original Inglês
Produção
Produtor(es) John Milius
William J. Macdonald
Bruno Heller
Franck Doelger
Anne Thomopoulos
John Melfi
Elenco Kevin McKidd
Ray Stevenson
Polly Walker
Kenneth Cranham
Tobias Menzies
Max Pirkis
Indira Varma
Kerry Condon
Lindsay Duncan
James Purefoy
Ciarán Hinds
Exibição
Transmissão original 28 de agosto de 2005- 25 de março de 2007
Nº de temporadas 2
Nº de episódios 22 (lista de episódios)
Portal Séries de televisão · Portal Televisão
Projeto Televisão
Rome (em Portugal e no Brasil, Roma) é uma série de televisão estadunidense que retrata um drama histórico criado por Bruno Heller, John Milius, e William J. MacDonald. A série foi produzida na Itália pela redes de televisão BBC, do Reino Unido, HBO, dos Estados Unidos, e RAI, da própria Itália. Foi transmitida originalmente entre 28 de agosto de 2005 e 25 de março de 2007.

Índice

Argumento

A série se passa em 52 a.C., quando o general romano Júlio César derrota seu inimigo Vercingétorix na batalha de Alésia. Seu êxito desequilibra a batalha pelo poder contra o cônsul de Roma, Pompeu, que representa a luta entre o povo, que apoia César, e os patrícios, que apoiam Pompeu. A série trata dessa luta de poderes, na qual César, triunfante tenta transformar a República Romana em um Império. Este objetivo, entretanto, somente será conseguido por seu sobrinho-neto, Otávio Augusto, no ano de 27 a.C.
Para ambientar esta troca histórica, a série se baseia não só naqueles poderosos que promoveram a troca, mas também nas vidas dos legionários, Lúcio Voreno e Tito Pulo, personagens que aparecem no livro V dos Comentários sobre a Guerras Gálica, mas a versão da série não corresponde com a realidade, pois tinham sido centuriões da XI legião[1].
Roma é uma co-produção da rede de televisão paga estadunidense HBO, da britânica BBC e da italiana RAI, rodada nas proximidades da atual cidade e nos antigos estúdios de Cinecittà, em uma superfície de mais de 20.000 metros quadrados, com a participação de 350 pessoas. Por isso é a série mais cara da história da televisão, com um gasto de cem milhões de dólares[2].

Episódios

Primeira temporada

É baseada em acontecimentos históricos na antiga Roma entre os anos 52 e 44 a.C. Inicia com a vitória de Júlio César na batalha de Alésia e acaba com seu assassinato, na primeira temporada são 12 episodios, onde alem da parte historica, ja conhecida nos livros, nos mostra uma Roma perversa, suja, degradada, com os patricios ignorando a plebe e ela revoltosa. ao fim da trama, Julio César, é assassinado pelos senadores dentro do Senado de Roma, o último golpe, é dado por Marco Júnio Brutus, filho de Servília, sobrinho de Catão, entretanto, ao morrer no marmore do senado, Cesar não repete a celebre expressão "até Tu, Brutus, meu filho" já que essa frase é de William Shakespeare e não corresponde com a realidade.

Segunda temporada

O bravo Júlio César foi cruelmente assassinado e a agora a guerra civil ameaça destruir a República. Numa disputa de egos, inúmeros sucessores pleiteiam o cargo deixado por César. É então que Marco Antônio tenta consolidar seu poder se aliando a Atia. O conspirador Brutus tenta ganhar a simpatia do povo, que antes o condenou como assassino. Enquanto isso, Tito Pullo se esforça para tirar seu amigo, Lúcio Voreno, da escuridão que envolveu sua vida após uma tragédia pessoal. Otavio, sobrinho de César, ao descobrir que é o herdeiro de Júlio César, começa a sua busca pelo poder.

Referências

Ligações externas


Ver avaliações
Avaliar esta página
Credibilidade
Imparcialidade
Profundidade
Redação

.

.
.
Ocorreu um erro neste gadget

É O QUE TEM PRA HOJE: "POUCO PAPO E SÓ... SU-CEEEEEEES-SO!!!"



"SIGAM-ME OS BONS" - Maria Celeste Bsp | Facebook

Google+ Followers

EU SOU POLIVALENTE!

EU SOU POLIVALENTE!