.

.
.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Substantivo


Substantivo é a classe variável
Que nomeia objetos, pessoas
Sentimentos. lugares
Primitivo e derivado: jornal e jornalista.
Simples e composto: sol e girassol.
Próprio e comum: pedro e café.
Concreto e abstrato: pedra e alegria
E os coletivos: alcateia, fauna, flora
Galeria, assembleia, esquadrilha e legião
Mais coletivos: bateria, batalhão, colméia, cordilheira.
Revoada e multidão. oh, oh, oh, oh.
E quanto aos gêneros?
Gênero biforme: feminino e masculino.
Gênero uniforme: apenas uma forma
E pode ser epiceno: a cobra, o gavião, a girafa e o jacaré.
Comum de dois:
Jornalista, pianista, jovem, artista.
Sobrecomum: a pessoa, o indivíduo, o cônjuge e a testemunha.
Oh, oh, oh.


Substantivo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Classes gramaticais
Variáveis
Nomes
Substantivo
Adjetivo
Pronome
Artigo
Verbos
Verbo
Invariáveis
Advérbios
Advérbio
Adposições
Preposição
Posposição
Circumposição
Conjunções
Conjunção
Interjeições
Interjeição
Fusões de Classes:
Combinação
Contração
Crase
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Substantivo é toda a palavra que designa ser, coisa ou substância.[1]
De acordo com a gramática portuguesa, um substantivo dá nome aos seres em geral e pode variar em gênero, número e grau.
Para transformar uma palavra de outra classe gramatical em um substantivo, basta precedê-lo de um artigo, pronome ou numeral. Exemplo: "O não é uma palavra dura". Artigos sempre precedem palavras substantivadas, mas substantivos (que são substantivos em sua essência) não precisam necessariamente ser precedidos por artigos.

Índice

Classificação

Quanto à formação

Dá-se o nome de substantivo a todas as palavras que nomeiam seres, lugares, objetos, sentimentos e outros.
Quanto à existência de radical, o substantivo pode ser classificado em:
Primitivo, derivado, simples e composto:
  • Primitivo: palavras que não derivam de outras. Ex.: flor, pedra, jardim, leite, goiaba, ferro, cobre, uva, maçã, metal...
  • Derivado: vem de outra palavra existente na língua. O substantivo que dá origem ao derivado (substantivo primitivo) denominado radical. Ex.: pedreiro(pedra), jornalista(jornal), gatarrão, homúnculo.
Quanto ao número de radicais, pode ser classificado em:
  • Simples: tem apenas um radical. Ex.: água, couve, sol ...
  • Composto: tem dois ou mais radicais. Ex.: água-de-cheiro, couve-flor, girassol, lança-perfume, pé-de-moleque, cachorro-quente, guarda-chuva...

Quanto ao tipo

Quando se referir a especificação dos seres, pode ser classificado em:
  • Próprios: denota um elemento individual que tenha um nome próprio dentro de um conjunto, sendo grafado sempre com letra maiúscula. Ex.: João, Maria, Bahia, Brasil, Rio de Janeiro, Japão.
  • Comuns: são substantivos que designam um elemento qualquer sem individualizá-los. Subdividem-se em:
    • Concretos: designam seres que existem ou que podem existir por si só. Ex.: casa, cadeira. Também são concretos os substantivos que nomeiam divindades (Deus, anjos, almas) e seres fantásticos (fada, duende), pois, existentes ou não, não estão vinculados a alguma outra coisa para existir.
    • Abstratos: designam ideias ou conceitos, cuja existência está vinculada a alguém ou a alguma outra coisa. Ex.: justiça, amor, trabalho, etc.
    • Coletivos: um substantivo coletivo designa um nome singular dado a um conjunto de seres. No entanto, vale ressaltar que não se trata necessariamente de quaisquer seres daquela espécie. Alguns exemplos:
      • Uma biblioteca é um conjunto de livros, mas uma pilha de livros desordenada não é uma biblioteca. A biblioteca discrimina o gênero dos livros e os acomoda em prateleiras.
      • Uma orquestra ou banda é um conjunto de instrumentistas, mas nem todo conjunto de músicos ou instrumentistas pode ser classificado como uma orquestra ou banda. Em uma orquestra ou banda, os instrumentistas estão executando a mesma peça musical ao mesmo tempo.
      • Uma "turma" é um conjunto de estudantes, mas se juntarem num mesmo alojamento os estudantes de várias carreiras e universidades numa sala, não se tem uma turma. Na turma, os estudantes assistem simultaneamente à mesma aula. Eles possuem alguma ação ou característica em comum em relação ao grupo.

Quanto ao gênero

Os substantivos flexionam-se nos gêneros masculino e feminino e quanto às formas, podem ser:
Biformes: apresentam duas formas originadas do mesmo radical. Exemplos: menino - menina, traidor - traidora, aluno - aluna, gato - gata.
Heterônimos: apresentam radicais distintos e dispensam artigo ou flexão para indicar gênero, ou seja, apresentam duas formas uma para o feminino e outra para o masculino. Exemplos: arlequim - colombina, arcebispo - arquiepiscopisa, bispo - episcopisa, bode - cabra, ovelha - carneiro.
Uniformes: apresentam a mesma forma para os dois gêneros, podendo ser classificados em:
  • Epicenos: referem-se a animais ou plantas, e são invariáveis no artigo precedente. Quando é necessário discriminar o sexo do animal, acrescenta-se a palavra "macho" ou "fêmea". Exemplos: a onça macho - a onça fêmea; o jacaré macho - o jacaré fêmea; a foca macho - a foca fêmea.
  • Comuns de dois gêneros: o gênero é indicado pelo artigo precedente. Exemplos: o dentista - a dentista, um jovem - uma jovem, o imigrante italiano - a imigrante italiana.
  • Sobrecomuns: invariáveis no artigo precedente. Exemplos:a criança, o indivíduo, a testemunha (não existem formas como "o criança", "a indivíduo","o testemunha", nem palavras como "crianço" ou "indivídua" ou "testemunho").

Quanto ao número

Os substantivos apresentam singular e plural.
Nos substantivos simples, para formar o plural, acrescenta-se à terminação em n, vogal ou ditongo o s. Ex: elétron/ elétrons, povo/ povos, caixa/ caixas, cárie/ cáries; a terminação em ão, por ões, ães, ou ãos; as terminações em s, r, e z, por es; terminações em x são invariáveis; terminações em al, el, ol, ul, trocam o l por is, com as seguintes exceções: "mal" (males), "cônsul" (cônsules), "mol" (mols), "gol" (gols); terminação em il, é trocado o l por is (quando oxítono) ou o il por eis (quando paroxítono).
Os substantivos compostos São aqueles que tem dois radicais
  • se os elementos são ligados por preposição, só o primeiro varia (mulas-sem-cabeça); também varia apenas o primeiro elemento caso o segundo termo indique finalidade ou semelhança deste (navios-escola, canetas-tinteiro);
  • se os elementos são formados por palavras repetidas ou por onomatopeia, só o segundo elemento varia (tico-ticos, pingue-pongues);
  • nos demais casos, somente os elementos originariamente substantivos, adjetivos e numerais variam (couves-flores, guardas-noturnos, amores-perfeitos, bem-amados, ex-alunos).
Resumindo flexiona-se apenas o primeiro elemento:
  • quando as duas palavras são ligadas por preposições;
  • quando o segundo nome limita o primeiro, expressando uma idéia de fim ( canetas-tinteiro, sofás-cama).
Flexiona-se apenas o segundo elemento:
  • quanto há adjetivos + adjetivos (econômico-financeiros, luso-brasileiros);
  • quando a primeira palavra é invariável (guarda-roupas);
  • quando há verbo + substantivo (arranha-céus);
  • quando sao palavras repetidas (quero-queros);
  • quando se trata de nome de oracões (pai-nossos);
  • quando se trata de palavras anomatopaicas, que imitam sons(toc-tocs).
Flexionam-se os dois elementos quando há:
  • substantivo + substantivo (cirurgiões-dentistas);
  • substantivo + adjetivo (guardas-noturnos);
  • adjetivo + substantivo (livres-pensadores);
  • numeral + substantivo (Quintas-feiras).

Flexões dos substantivos

O substantivo pode variar de forma para indicar seu gênero (masculino ou feminino), numérico (singular ou plural) ou grau (aumentativo ou diminutivo). Veja por exemplo, o substantivo menino. Ele pode aparesentar menina( feminino), meninos (plural) e menininho (diminutivo).
Exemplos de diminutivos e aumentativos sintéticos:
  • sapato/sapatinho/sapatão;
  • casa/casinha/casarão;
  • cão/cãozinho/canzarrão;
  • homem/homenzinho/homenzarrão;
  • gato/gatinho/gatão;
  • bigode/bigodinho/bigodaço;
  • vidro/vidrinho/vidraça;
  • boca/boquinha/bocarra;
  • muro/mureta/muralha;
  • pedra/pedrinha/pedrona;
  • rocha/rochinha/rochedo;
  • papel/papelzinho/papelão;
  • lápis/lapisinho/lapisão;
  • sapo/sapinho/sapão;
  • livro/livrinho/livrão;
  • carro/carrinho/carrão;

Gênero do substantivo

Gramaticalmente, os substantivos podem pertencer ao gênero masculino ou ao gênero feminino, dividindo-se em biformes ou uniformes Substantivos biformes Os Substantivos biformes apresentam uma forma para o masculina e outra para o feminino.
           Na maioria das palavras, o feminino é marcado pela desinência a. Observe:
Masculino: gato, freguês, cantor e deus. Feminino: gata, freguesa, cantora, deusa
Atenção para estes casos: a) Algumas substantivos formam o feminino com a junção de sufixos. Exemplos: conde-> condessa imperador-> imperatriz
b) Os substantivos masculinos terminados em ão formam o feminino ão, ã ou ona. Exemplos: leão-> leoa anão-> anã solteirão-> solteirona
Obs. Às vezes, o feminino não é indicado pela flexão do masculino mas por outra palavra. Exemplo: homem-> mulher; cavalo-> égua; pai-> mãe.
Substantivo unifome Os substantivos uniformes apresentam a mesma forma no masculino ou no feminino. Eles são clasificados em substantivos comuns de dois gêneros, substantivos sobrecomuns e substantivos epicenos. Os substantivos comuns de dois e os sobrecomuns referen-se a pessoas. Os substantivos epicenos referen-se a animais.
  • Os substantivos comuns de dois gêneros são aqueles que se referm a passoas dos dois sexos sem mudanças de forma. O gênero é indicado pelas palavras que os acompanham.
Exemplos: O pianista já chegou. --> A pianista já chegou. Aquele jovem é excelente. --> Aquela jovem é excelente. Chamou seu colega. --> Chamou sua colega.
  • Os substantivos sobrecomuns são os que têm uma única forma para os dois gêneros. Só o contexto informa se se trata de alguém do sexo masculino ou do sexo feminino.
Observe, por exemplo, esta frase: A criança está dormindo. Nesse caso, o substantivo criança pode refirir-se a um menino ou uma menina, isto é, tanto a alguem do sexo feminino quanto a alguém do sexo masculino. A forma do substantivo não muda.
Veja outros exemplos: A testemunha (homem ou mulher) O cônjuge (marido ou esposa) A vítima (homem ou mulher)
  • Os substantivos epicenos são os que têm apenas uma forma para se referir a animais de ambos os sexos.
Exemplo: a girafa, o tatu, a onça.
Se quisermos indicar o sexo do animal, devemos usar as palavras macho e fêmea. Exemplos: a girafa macho -> a girafa fêmea o tatu macho -> o tatu fêmea
    • Quando a mudança de gênero modifica o significado
Atenção! Certos substantivos mudam de significado conforme sejam usados no masculino ou no feminino. Observe, por exemplo, os significados do substantivo cabeça nestas frases:
      Aquele menino machucou a cabeça. (a cabeça - parte do corpo).
      Aquele menino é o cabeça da turma. (o cabeça - chefe).

Ver também

Wikilivros
O wikilivro Português tem uma página sobre Substantivos

Referências

  1. Almeida, Napoleão Mendes de, 1911, Gramática Metódica da Língua Portuguesa, Cap. VIII, §152 - 38. ed. - São Paulo : Saraiva, 1992.
Ver avaliações
Avaliar esta página
Credibilidade
Imparcialidade
Profundidade
Redação

.

.
.
Ocorreu um erro neste gadget

É O QUE TEM PRA HOJE: "POUCO PAPO E SÓ... SU-CEEEEEEES-SO!!!"



"SIGAM-ME OS BONS" - Maria Celeste Bsp | Facebook

Google+ Followers

EU SOU POLIVALENTE!

EU SOU POLIVALENTE!